MITOS ISLÂMICOS

sábado, 18 de julho de 2015

A crescente onda de muçulmanos que troca Maomé pelo Senhor Jesus

Por Warren Cole Smith

Se por acaso passas tempo a ler as notícias, é bem provável que saibas que o islão radical é uma força significante e destrutiva no mundo actual. David Garrison não discorda com esta declaração, mas ele defende que isto é apenas parte da história. Há também um avivamento do mundo islâmico, defende Garrison.

Ele acredita que entre 2 a 7 milhões de antigos muçulmanos converteram-se ao Cristianismo nas últimas duas décadas, e ele tem pesquisas impressionantes que confirmam a aua alegação. Ele documento os dados por ele apurados no seu livro "A Wind in the House of Islam."

Garrison tem um Ph.D. através da Universidade do Chicago, e passou mais de 25 anos como missionário com a "International Missions Board" da "Southern Baptist Convention". Tive esta conversa com Garrison em Atlanta no mais recente "International Christian Retail Show".

---

Muitas pessoas, quando pensam no mundo islâmico, ficam desencorajadas com o islão radical. O seu livro tem  um tipo de mensagem mais encorajadora. Qual é ela?

Há alguns dias atrás houve uma pessoa que me perguntou, "Como é que você interpreta o que está a acontecer actualmente no mundo à luz da Palavra de Deus?" Eu penso que Romanos 8:22 é uma peça-chave para nós vermos as coisas, e essa é a passagem onde Paulo nos diz que sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto.

Esse doloroso levantamento, todas as tribulações, a violência que vemos no mundo islâmico são, espero eu,  o prenuncio duma nova vida que  está a tomar lugar. É nisso que a minha vida se foca, e não nas coisas que vemos todos os dias nas notícias, que são todas elas verdadeiras e válidas. Não quero de maneira nenhuma minimizar nada disso.

Tudo isso que está a acontecer é horrível, mas eu também quero dar testemunho do facto de Deus estar a operar no mundo islâmico, e, francamente, de formas que nós nunca vimos no passado. Há muito mais muçulmanos a converterem-se a Cristo no dias de hoje do que em qualquer outro momento da história.

Pode-nos dar alguns exemplos específicos do que está a acontecer?

A coisa mais impressionante que nós descobrimos é que existem movimentos de muçulmanos rumo a Cristo, e quando falo nisso, eu não estou a falar de indivíduos, mas de movimentos de pelo menos 1000 pessoas dentro duma comunidade, que foram baptizados, ou 100 igrejas que foram plantadas nas últimas duas décadas.

Estamos observar, actualmente, 69 destes movimentos que foram formados nas últimas duas décadas que se estão a  mover......dum ponto do mundo islâmico para o outro  - portanto, desde o Oeste de África até à Indonésia e todos os lugares pelo meio.

Acho que um dos exemplos mais notáveis é o que está a acontecer actualmente no Irão. Estamos a observar que o Ayatollah Khomeini está a provar ser o maior evangelista da história do Irão porque tantas pessoas estão a votar com os seus pés, e essas pessoas estão a abandonar o islão e estão a caminhar rumo a todo o tipo de coisas. Não é só rumo ao Cristianismo, mas certamente que dezenas de milhares, talvez centenas de milhares de Iranianos durante as últimas décadas passaram a ter fé no Senhor Jesus Cristo, e seguiram-No até ao baptismo.

Você disse "Estamos a observar." Quem é que está a observar, e como é que podemos saber que o que você disse é verdade?

Isso foi muito importante para mim. Certamente que ninguém pode saber tudo o que se está a passar, e a bênção maravilhosa que eu tive foi a bênção de ter um conjunto enorme de colaboradores. Em todos os lugares onde estive, descobri que eu fui capaz de trabalhar com missionários que me apresentaram mais tarde aos parceiros nacionais, e devido a isto, nas páginas iniciais do meu livro eu falo desta enorme rede.

Acho que tenho cerca de 150 pessoas listadas que me ajudaram em todas as regiões do mundo. Fiz questão de documentar por escrito não só tudo o que diz, mas também de registar tanto quanto possível essas entrevistas reais; arrumá-las antes de - como se diz - sanitizá-las. Mudei os nomes de modo que ninguém fosse prejudicado e por motivos de segurança.

De que forma é que você enveredou pelo caminho de documentar este fenómeno?

Eu tive um percurso longo e sinuoso. Passei 29 anos junto da "International Missions Board" e vive em locais e e estudei línguas tais como o Japonês e o Chinês, para além de ter aprendido três tipo de Arábico.

Por volta de 1992, a minha esposa, os meus dois filhos e eu fomos destacados para trabalhar junto dos Árabes Líbios. E durante os anos que se seguiram aprendemos, sei lá, 100 ou 200 formas de como não ganhar Líbios para Cristo. Durante esse percurso, ficamos a saber que é difícil, e que não é algo que se resolve facilmente.

Portanto, em 2002, quando a nossa família se mudou para a Índia, começamos a ouvir relatos de muçulmanos a converterem-se a Cristo no Sul da Ásia, e então começamos a ouvir relatos do Centro da Ásia e alguns poucos do Oeste e do Este da África. Tomamos nota porque sabíamos que isto não era normal, e começamos a fazer listas de movimentos sobre os quais havíamos ouvido falar mas que não tínhamos verificado pessoalmente. Em pouco tempo, tínhamos cerca de 25 na nossa lista.

Então, em 2011, fui contactado por uma fundação que dizia:

Temos estado a ouvir os mesmos rumores de anjos e de coisas que estão a acontecer no mundo muçulmano. Se por acaso nós o financiássemos, será que você estaria disposto a ir e a verificar o que está a acontecer?

Neste livro você fala de experiências verdadeiramente sobrenaturais que os muçulmanos estão a ter, e que lhes estão a levar até a Cristo, Será que ouvi bem?

Em muitos casos, sim. Em alguns casos, é muito comum, muito rotineiro, quase mundano, mas, obviamente, sempre que alguém é transformado das trevas para a luz, isso é um milagre. Sempre que o Senhor Jesus Cristo salva alguém, é um milagre. Mas certamente que estamos a ouvir notícias de coisas que são fora do comum, e eu sou um Baptista, e como tal, digo estas coisas com uma certa dose de cepticismo.

Queria saber mais, e as notícias que eu ouvia eram simplesmente maravilhosas, particularmente aquelas que falavam de sonhos e visões. Quase ninguém nega que, qualquer que seja o motivo, dum canto do mundo muçulmano até ao outros, os muçulmanos estão a ter o seu sono perturbado por visitações e também por orações respondidas.

Falamos com um certo número de pessoas que nos disseram da forma como haviam testado Deus. Eles disseram, "Se isto é real, vou orar, e se Tu estás aí, Senhor, quero que oiças isto," e então o Senhor Jesus começou a revelar-Se através da Sua fidelidade, e eles aperceberam-se que seguir a Cristo não era seguir um Profeta com 2000 anos, mas sim seguir o Senhor Vivo. Isso, para eles, foi o ponto de viragem.

O que foi que o levou ao ponto de verdadeiramente começar a acreditar que realmente está a acontecer um movimento do Espírito Santo no mundo islâmico?

Foi quando eu mesmo fui para estes locais. Viajei mais de 1/4 de um milhão de milhas durante os dois anos que se seguiram pelo mundo islâmico, e em todos os cantos entrevistei pessoas que nunca teria imaginado - desde xeques, imãs e mullahs, líderes da comunidade islâmica - que me deram testemunho de terem sido baptizados depois de se terem encontrado com o Senhor Jesus, e saberem que, ao agirem assim, eles estavam a dizer "Estou disposto a morrer" porque eles sabiam muito bem que a lei islâmica não permite a conversão do islão para outra fé.

Durante os cerca de dois anos seguintes, à medida que comecei a compilar listas e a investigar a verdade, o que descobri foi que, durante todo o percurso da interacção muçulmana-Cristão, existiam 82 instâncias, 82 movimentos, de muçulmanos por Cristo com pelo menos 1,000 baptismos ou 100 estabelecimentos de igrejas durante duas décadas. Oitenta e duas vezes. Isto é que é espantoso: 69 dessas instâncias ocorreram depois do ano 2000.

Estamos a atravessar o maior ponto de viragem de muçulmanos a converterem-se a Cristo da história, mas acho que a igreja não está ciente disto. Embora isto seja minúsculo se olharmos para os 1,6 mil milhões de muçulmanos que há no mundo - até hoje, menos de 1,5% de muçulmanos foram tocados com o Evangelho - mesmo assim, estamos a testemunhar que, 84% de todos os movimentos que alguma vez aconteceram, estão a acontecer agora.

Os Cristãos aqui nos Estados Unidos estão a ler este livro. O que é que você tem esperança que aconteça quando eles terminarem de ler?

Essa é uma boa pergunta. Na verdade, neste livro eu descrevo aqueles que são 4 resultados desejados. O primeiro é que seja historicamente correcto, que capture a documente com clarea real estes movimentos de modo a que não existam dúvidas em torno do registo deste momento da história.

O segundo resultado desejado é que o livro seja uma palavra de encorajamento para os Cristãos - que têm medo dos muçulmanos, que estão zangados com os muçulmanos, e que olham para eles como uma ameaça - para que eles se apercebam que este o seu [dos muçulmanos] Dia da Salvação. Deus pode querer que amemos os muçulmanos, que lhes ministremos, que lhes levemos o Evangelho, porque isto está bem no centro do Coração de Deus.

O terceiro propósito deste livro é o de mostrar a forma como Deus está a operar no mundo muçulmano porque, claramente, as coisas hoje estão diferentes, e é algo que nunca tínhamos visto no passado. Se o corpo de Cristo pode aprender as formas eficientes através das quais o corpo de Cristo está a operar, então todos nós podemos fazer a obra de Cristo de forma muito mais eficaz.

O quarto propósito, e encontra-se bem no centro da sua questão, é que eu espero que isto seja um encorajamento para os muçulmanos que estão a pensar noutras formas, que eles possam saber o quão perto do Coração de Deus eles estão.

http://wp.me/p2eeoq-59b

video

1 comentário:

  1. A diferença, que talvez possa ser decisiva, é que Islamismo impõe sua verdade através da força não aceitando nenhum pensamento contrário, enquanto que nós cristãos, apesar de não concordarmos, aceitamos e respeitamos a fé do islã. Mauro - Brasil

    ResponderEliminar

Os 10 mandamentos do comentador responsável:
1. Não serás excessivamente longo.
2. Não dirás falso testemunho.
3. Não comentarás sem deixar o teu nome.
4. Não blasfemarás porque certamente o editor do blogue não terá por inocente quem blasfemar contra o seu Deus.
5. Não te desviarás do assunto.
6. Não responderás só com links.
7. Não usarás de linguagem profana e grosseira.
8. Não serás demasiado curioso.
9. Não alegarás o que não podes evidenciar.
10. Não escreverás só em maiúsculas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

ShareThis